HOMENAGEM


Homenagem



Aos quatro ou
cinco anos, eu era uma garotinha que já gostava de fazer versos. Parece que eu
encerrava as minhas “apresentações” sempre com a mesma frase: bonecas no meu
coração. Tudo a ver com a minha paixão do momento...
Ao longo de
minha vida ouvi meu pai repetir esta estória. Aliás, sempre com muita alegria e
orgulho da “precocidade” da primogênita.
Por isso, o
título do blog é uma homenagem a meu pai, Humberto Narbot.

domingo, 8 de setembro de 2013

POEMA SEM NEXO


Nas horas corridas

de um dia monótono

a ausência

da presença

de gente em volta da gente,

que canta sozinha

que chora isolada

que pensa

no mundo

de sons e de gente

que corre lá fora,

além das janelas, que vêem os mares,

correndo, ou andando

sem pressa,

que a vida não lhes foge

como foge a nós

que corremos, corremos
 
                      sem nunca alcançá-la.                  

2 comentários:

  1. Pode até não ter nexo, mas tem sentidos...sentido! Grande abraço, Lu! :-)

    ResponderExcluir

Seu comentário é um importante incentivo e será bem-vindo. Obrigada.